Monday, 11 May 2015

Para nao esquecer


"Take me to church
I'll worship like a dog at the shrine of your lies
I'll tell you my sins and you can sharpen your knife
Offer me that deathless death
Good God, let me give you
 my life
If I'm a pagan of the good times
My lover's the sunlight
To keep the Goddess on my side
She demands a sacrifice"
Hosier - Take Me To Church, lyrics



Foi duro, mas conseguimos.
Foi uma Vitoria para ambas.
Nunca pensei que conseguiriamos.
Dois meses de tratamentos intensivos.
Dias longos, cansativos, desesperantes... a testar-nos a paciencia, a Resistencia.
As manhas que se arrastavam pela tarde fora. Ora eram as maquinas que se avariavam, ora era o ar condicionado sem o qual as maquinas nao podiam operar ou entao o sistema informatico, ou ainda as Greves dos Auxiliares Hospitalares.
As loooongas horas nas salas de espera... Quase todos os dias as mesmas caras conhecidas, marcadas pelo sofrimento comum.  A ingenuidade e inocencia dos que ainda estão a começar, que nao ainda não conhecem o doloroso e devastador caminho que os espera. As vozes energicas que rapidamente se vao silenciando, à medida que as cicatrizes vao aparecendo, que as mutilações se tornam permanentes. O desgaste e desalento dos que travam a batalha ha mais tempo.

Saturday, 2 May 2015

Presente

"... os eventos inesperados que a vida nos atira são uma lembrança constante da prodigiosa e multifacetada imaginação que o presente nos oferece, sempre a ultrapassar as nossas melhores e piores expectativas. Enquanto o futuro vive num território idílico de um sonho espiritual qualquer, o presente insiste sistemáticamente em abanar a carruagem com curvas apertadas, descidas abrutas e rodas soltas."

David Fonseca, no Prefácio de 
Nunca Desistas de Viver: Sofia Lisboa

Tuesday, 28 April 2015

Parar*


"Há dias em que o teu corpo te obriga a parar. Ouve o que ele te diz. Precisas de ti, inteira. Precisas mais de ti, do que dos outros. 
Cuida de ti. Cuida mais e melhor de ti. Fica atenta aos sinais que a tua pele te dá.
E nestes dias, em que precisas mais de ti, abraça-te. Não te preocupes com o resto do mundo. Porque o mundo vai continuar a ser o mesmo no teu regresso. E quem (e o que) tiver de esperar, se for importante, espera.
Repara em ti e celebra o que de melhor tens na (tua) vida: a tua saúde, o teu tempo, a tua liberdade, o teu amor, o teu pequeno mundo dos afectos.
E sabe, acredita com todas as forças, que algumas paragens que a vida te obriga a fazer, quando feitas no momento certo, ensinam-te a esperar pelo comboio que te leva ao destino. O teu.
Sim, pára e cuida de ti. O mundo pode esperar."
>>créditos texto: Às 9 no meu blog




*Sábias palavras durante a minha estadia forçada em Portugal...

Recomeçar

"Às vezes, a vida cai-nos aos pés com o peso e o frio de uma bola de chumbo."
in Recomeçar, Maria Duenas